Alunos de escolas municipais colocam “mão na massa” e aprendem com hortas

Unidades educacionais podem solicitar implementação do projeto por meio do Fundo de Apoio à Comunidade

Alunos da REME (Rede Municipal de Ensino) vivenciam na prática a arte da sustentabilidade e alimentação saudável, por meio das hortas comunitárias, criadas pelo FAC (Fundo de Apoio à Comunidade) e Sidagro (Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio), em Campo Grande. O projeto que envolve as crianças do ensino fundamental, também desperta a conscientização sobre como preservar o meio ambiente no âmbito escolar. Até o final do ano, a meta é atingir cerca de 20 escolas municipais.

Além de ensinar os alunos de maneira didática, a iniciativa também busca alcançar a segurança alimentar e, consequentemente, acabar com a fome. Palestras educativas, oficinas e brincadeiras lúdicas relacionadas ao meio ambiente, sustentabilidade, alimentação saudável, matemática, geografia, solos, biologia, dentre outros estão entre os temas trabalhados no projeto.

Mariana Cristina Pereira Spina, professora do laboratório de ciências na Escola Municipal Aldo de Queiroz, primeira escola a receber a horta, disse que a implantação na unidade sempre foi um sonho em comum. “Fiquei sabendo que a prefeitura tinha esse tipo de serviço, entrei em contato com o FAC, que nos ofereceu todo o apoio, desde os maquinários até as doações das mudas”.

Para o agrônomo do FAC, Gilson Silveira Arevalo, responsável pela implantação, ressalta que a educação é a arma mais poderosa e que se pode mudar o mundo.

 “A escola é o princípio de tudo. É onde desperta no aluno o sentimento de boas práticas futuras como alimentação saudável, cuidados com o meio ambiente, formação do caráter enquanto cidadão. A professora vai poder usar a horta para várias disciplinas, como laboratório vivo e multidisciplinar. A partir do momento que o aluno colhe o que ele planta, desperta nele a vontade de consumir, pois ele que ajudou a cuidar”.

Hortas – Implantada em outubro de 2022, a horta precisou ser refeita em março de 2023. Hoje, já está em seu terceiro plantio. Na lista de escolas que já possuem hortas comunitárias está, além da Escola Municipal Professor Aldo de Queiroz, na Vila Carvalho, a Escola Municipal Padre Heitor Castoldi, no Jardim Nhanha, Escolas Municipais Professora Maria Regina de Vasconcelos Galvão e Tomaz Ghirardelli.

“A ideia de se ter uma horta na escola é oferecer aos alunos a oportunidade de terem acesso a uma alimentação saudável e o conhecimento sobre o desenvolvimento sustentável. Através das hortas, os alunos se tornam multiplicadores, produzindo a própria horta dentro da comunidade que vivem, de maneira simples e eficaz”, esclarece a  professora Viviane Regina de Miranda.

Lauro Cristiano Guedes da Silva, diretor da escola Professor Aldo de Queiroz,conta que os alunos estão ansiosos para a primeira colheita.

“A horta é um espaço de qualidade dentro da escola, onde trabalhamos experiências novas e proveitosas. Ao realizar o plantio, o aluno acompanha o desenvolvimento do alimento, trabalha a espera, o cultivar e regar. É um espaço de mais vivência para eles, onde mexem com a terra e realizam o trabalho coletivo”.

Como participar – Escolas que desejam participar do projeto podem enviar a solicitação para o email: campanhas.fac@gapre.campogrande.ms.gov.br. Depois, o engenheiro agrônomo irá realizar visita técnica no local para validar se a escola está apta para receber a horta. Os Adubos, sementes e maquinários para o manejo dos canteiros são doados às unidades escolares pelo FAC e Sidagro.

VÍDEO
PUBLICIDADE
COLUNISTAS
PREVISÃO DO TEMPO
Campo Grande
29°C
45% 0% 6m/s 350deg
PUBLICIDADE​
APOIO
ÚLTIMAS