Anúncio de indústria de etanol de cereais em Sidrolândia alavanca produção de biocombustíveis em MS

Mato Grosso do Sul terá mais uma indústria de biocombustíveis, atraída pela política de incentivos fiscais e de desenvolvimento sustentável do Governo do Estado. A Inpasa, já atuante em Dourados, anunciou na terça-feira (1º), durante o MS Day, em São Paulo (SP), a construção de uma planta industrial para produção de etanol a partir de cereais no município de Sidrolândia. O aporte de investimento inicial será de R$ 1,2 bilhão, com cronograma de início das operações no segundo semestre de 2024 e estimativa de geração de 2 mil empregos diretos e indiretos durante as obras e contratação de 500 funcionários para atuação na fábrica.

O investimento foi anunciado pelo presidente da Inpasa, José Lopes e o diretor da empresa, Rafael Augusto Ranzolin, em reunião com o governador Eduardo Riedel e o secretário Jaime Verruck, da Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia), durante o MS Day. “A Inpasa confirmou um novo investimento durante o MS Day e recebemos ainda outras empresas que confirmaram seus investimentos ou se mostraram interessadas”, comentou, Jaime Verruck.

O presidente da Inpasa, José Lopes informou que a empresa está ampliando sua capacidade de moagem, saindo de uma planta industrial, para duas. “Então, a gente está já bastante estruturado, com terreno comprado, com toda estrutura de engenharia desenvolvida. E hoje (no MS Day) a gente apertou as mãos e a parceria com o Governo do Estado para a gente poder realmente anunciar esse investimento na cidade de Sidrolândia, onde a Inpasa vai se consolidar como produtor de biocombustíveis no estado de Mato Grosso do Sul”, afirmou.

De acordo com o titular da Semadesc, o MS Day apresentou ao empresariado nacional que Mato Grosso do Sul é um Estado próspero, cresce acima da média nacional e está pronto para receber empreendimentos, não só no sentido de incentivo fiscal, mas no de qualidade de vida, oferecendo infraestrutura para quem aqui desembarcar. “Temos que destacar pontos como a educação, o ensino integral, o sistema de saúde adequado, uma infraestrutura adequada. Nosso objetivo é mostrar que Mato Grosso do Sul é um bom lugar para investir e para viver”, finalizou.

A unidade da Inpasa em funcionamento em Dourados tem capacidade para produzir quase um bilhão de litros de etanol por ano, 460 mil toneladas/ano de DDGS e 57 mil toneladas/dia de óleo de milho, com o consumo de quase dois bilhões de milho no ano. Já a de Sidrolândia, de acordo com José Lopes, “trata-se de uma planta industrial bastante robusta, construída em fases. Nessa primeira fase a gente vai investir R$ 1,2 bilhão na implementação, com investimento direto na construção, uma geração de empregos bastante forte. Nós prospectamos em torno de 2 mil empregos diretos e indiretos na fase de construção. A planta, em operação, terá praticamente 500 empregos”, informou.

O presidente da Inpasa reforçou que a planta industrial de Sidrolândia vai produzir etanol a partir de cereais utilizando toda matéria-prima que tenha amido. “Ela entra dentro do cenário da bioeconomia. Vamos aplicar muita inovação dentro do etanol, não vai ser mais etanol de milho, e sim, é um grande passo para o etanol de cereais. Vamos consolidar uma segunda safra a nível do Brasil, em escala, fomentando alternativas. Então, a planta de Sidrolândia vai ter um diferencial. Ela vai realmente poder absorver toda a matéria-prima que tenha amido para conversão em etanol, proteína, energia elétrica, óleo, tudo que está muito bem encaixado no cenário da bioeconomia”, finalizou.

Marcelo Armôa e Rosana Siqueira, Semadesc

Fonte

VÍDEO
PUBLICIDADE
COLUNISTAS
PREVISÃO DO TEMPO
Campo Grande
9°C
93% 75% 5m/s 130deg
PUBLICIDADE​
APOIO
ÚLTIMAS