Com parada obrigatória de 15 minutos para leitura, projeto estimula hábito em alunos da REME

Para estimular a prática da leitura entre a comunidade escolar, a cada 15 dias, por um período de 15 minutos, a a Escola Municipal Senador Rachid Saldanha Derzi, localizada no Jardim Noroeste, em Campo Grande, paralisa suas atividades rotineiras para a leitura de um livro.  A iniciativa envolve todos os cerca de 1,5 mil alunos e funcionários da unidade, incluindo a equipe técnico-pedagógica e direção, que se mobilizam para a adoção desse hábito.

O projeto existe há mais de dez anos, de acordo com a diretora Aparecida Ivone Santo Andréa. “A parada ocorre de 15 em 15 dias, quando as crianças param, inclusive os funcionários, coordenadores, para ler. Já está tudo programado e cumprimos uma rotina, com as datas estipuladas. Os professores já reservam os livros, temos uma biblioteca muito fortalecida e todas as salas têm o cantinho da leitura”.

Ainda segundo a diretora, além do projeto Parada da Leitura, a biblioteca desenvolve outro projeto paralelo chamado Leitura. “O aluno que mais lê em três meses, recebe um prêmio, junto com um diploma. Com os recursos que são mandados para a escola fazemos a aquisição de uma boa quantidade de livros. Entendemos que a leitura estimula a interpretação e alfabetização”.

A coordenadora dos 3º e 4º ano, Elyane Kadur Diniz, idealizadora do projeto para premiar os alunos, disse que a cada mês se encanta com a evolução dos estudantes. “Os alunos ficam na expectativa da Parada e já apreciam a rotina literária. Percebo que eles realmente se encantaram pela leitura e que sentem prazer com a prática”.

De acordo com a professora regente Sara Marques, há uma mobilização de todos os alunos com o projeto Parada da Leitura. “Alguns alunos ainda têm dificuldade de leitura, mas como todos param para fazer justamente isso, eles se esforçam, eles querem aprender e isso é muito bonito para a evolução deles, porque a gente percebe que nossos alunos realmente têm interesse pela leitura”.

Empenhados

Os alunos Samuel Rodrigues, de 10 anos, e Daniel Guterres, de 12 anos, receberam diplomas pela quantidade de leitura no período de abril até junho. Cada um deles leu dez livros no período. O balanço é feito pela biblioteca da unidade escolar.

Samuel estuda na Escola desde o grupo 5 e, com incentivo da mãe, acabou adotando o hábito de ler. “Eu gosto de ler tudo, menos livros tristes. Eu viajo com um livro na mão e acabo me transportando para outro lugar. A experiência é muito legal”.

Já Daniel conta que sua preferência de leitura são os gibis. “Eu gosto de histórias de super-heróis também, me divirto muito. E quero ganhar mais certificados, por isso vou continuar pegando cada vez mais livros”.

Quem também está de olho no certificado é a estudante Leicy Arielle Ferreira, de 9 anos. “É muito legal ganhar um certificado, porque mostra que a gente se supera. Quero conquistar o meu. Estou contando já os meus livros. Eu amo ler e entendo o quanto a leitura nos permite viajar o mundo todo e durante a leitura podemos até ser o personagem que quiser do livro que a gente gosta”.

Evolução

A mãe de Daniel, Yasmin Guterres, informa que o filho evoluiu 100% depois que o projeto de leitura começou. “Ele lê de tudo, chega em casa animado falando da Parada, contando o tema do livro atual e eu fico muito orgulhosa vendo a evolução dele desse jeito. Só tenho a agradecer à escola”.

Segundo a técnica de enfermagem Tatiane Rodrigues Segundo, mãe do aluno Samuel, desde os 3 anos de idade o filho já se mostrava interessado por livros. “Desde quando ele era pequeno, a gente lia para ele. Mas o Samuel desenvolveu mais ainda esse gosto com o projeto da escola e é muito lindo de ver ele empenhado. De aniversário, ele sempre pede um livro de presente”.

VÍDEO
PUBLICIDADE
COLUNISTAS
PREVISÃO DO TEMPO
Campo Grande
14°C
77% 75% 5m/s 190deg
PUBLICIDADE​
APOIO
ÚLTIMAS