Lançado em abril, Projeto Retalhos com Amor atendeu mais de 10 servidores da Reme

Lançado há apenas três meses, o Projeto Retalhos com Amor, voltado à defesa da vida, para fortalecer a autoestima e a solidificar os valores que sustentam o desenvolvimento psicossocial dos servidores, pais e alunos das escolas municipais de Campo Grande, já atendeu 13 servidores pela Coordenadoria de Psicossocial e Assistência Educacional (CPAE) da Secretaria Municipal de Educação.

O projeto é desenvolvido em três eixos, sendo a consciência corporal, trabalho de habilidades manuais e roda de conversa. Durante o projeto, máquinas de costura foram doadas, assim como retalhos. As servidoras participantes estão costurando os retalhos para produzirem colchas que serão doadas às instituições no fim de 2023.

Luciene Soares de Souza, psicóloga do CPAE e uma das organizadoras do projeto, ressalta a importância dos diretores da Reme, no projeto. “Se o diretor observar que seu servidor precisa de ajuda, por estar com depressão, ansiedade, nos procure. Esse grupo de apoio tem a importância de acolher quem está sofrendo emocionalmente”.

A assessora de ações climáticas da Subsecretaria de Política para Mulher (SEMU), Marina Rosa de Sampaio Bragança, revela que a parceria com SEMU e CPAE deve-se as ações voltadas ao que beneficia a mulher. “A nossa parceira é uma pontinha dentro da grandiosidade que o projeto oferece. Acho interessante que algumas mulheres que participam do Valorização da Vida já conhecem as técnicas, mas outras não e dão começo as novas habilidades”.

Envolvida no Retalhos com Amor, a professora de Educação Física, Marcela de Souza Carvalho, explica como atua com as servidoras. “Trabalho no projeto com Educação Física e nutrição, a gente aborda o autoconhecimento corporal, corpo e mente. O acolhimento é feito com atividade física relacionada ao bem-estar, fazemos dança terapia e algumas dinâmicas voltadas para o autocuidado. Aqui dentro é o momento delas, a parte da Educação Física é terapêutica, trabalhamos mais o corpo e mente”.

Heloisa Gomide Baroli, tem 74 anos e se forma em 2025 em Psicologia. Ela é servidora da Semed, mas trabalha como professora auxiliar às psicólogas do CPAE, na parte administrativa. “Comecei a trabalhar na Secretaria quando meu marido faleceu, estava aposentada e como não queria ficar em casa, fiz dois concursos e passei. Em 2020, comecei a faculdade de Psicologia e soube do programa Valorização da Vida e pedi uma oportunidade de trabalho. O projeto dá suporte, acolhimento para quem tem depressão, ansiedade, quando conversa com psicóloga, a pessoa começa a ver o sentido da vida novamente”.

Segundo Jucilene Brites, também responsável pelo Retalhos com Amor, a perspectiva é no segundo semestre aumentar as turmas. “Por isso precisamos do apoio dos diretores, para que possam encaminhar mais servidores com sintomas de depressão, fobia e ansiedade”.

Uma das participantes do projeto, que terá o nome preservado, disse que a Coordenadoria a ajudou em um momento crítico de sua vida. “Um dia eu não fui trabalhar e o diretor já sabia que eu estava com depressão. Nesse dia eu tomei remédios para me suicidar, mas a equipe do CPAE estava no meu portão, eles me socorreram, me levaram para o posto de saúde e salvaram minha vida”.

Outra participante, que também não terá o nome revelado, afirmou que o projeto a deu uma nova forma de pensar. “Eu aprendi a agir com os obstáculos do dia a dia, o projeto me ajuda com aconchego, carinho e maneiras de lidar com a vida. O projeto tem salvado minha vida”.

Fonte: Portal da prefeitura municipal de Campo Grande

VÍDEO
PUBLICIDADE
COLUNISTAS
PREVISÃO DO TEMPO
Campo Grande
28°C
44% 0% 6m/s 360deg
PUBLICIDADE​
APOIO
ÚLTIMAS