Manipulação: STJD julgará Bauermann e mais sete jogadores na próxima quinta-feira

Tendência é de que tribunal aumente a pena aplicada aos atletas investigados por envolvimento em manipulação de jogos no futebol brasileiro

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) marcou, para a próxima quinta-feira, os julgamentos do zagueiro Eduardo Bauermann e de outros sete atletas citados no processo de manipulação de jogos do futebol brasileiro. O caso está ligado ao esquema de apostas investigado na Operação Penalidade Máxima, deflagrada em Goiás.

Após recurso da procuradoria, o tribunal deverá rever a pena inicialmente aplicada aos jogadores. A tendência é que a punição seja maior. No caso de Bauermann, por exemplo, a suspensão pode deixar subir de 12 jogos para até 760 dias.

O julgamento poderá afetar a intenção de Eduardo Bauermann em atuar no futebol turco depois de rescindir com o Santos. As decisões do STJD em relação a manipulação de jogos são encaminhadas a CBF através de um ofício. Este documento deverá ser encaminhado a Fifa.

A entidade máxima do futebol prevê, em seu regulamento, a existência de “crimes graves contra o esporte”. A manipulação de jogos seria inclusa nesta regra e a pena poderia, então, ser estendida a nível mundial.

Bauermann e os demais atletas foram julgados pela 4ª Comissão Disciplinar do STJD ainda no dia 1º de junho e receberam punições diferentes entre si. Foram elas:

  • Moraes (Aparecidense-GO): 760 dias e R$ 55 mil;
  • Gabriel Tota (Ypiranga-RS): banimento e R$ 30 mil;
  • Paulo Miranda (sem clube): 1.000 dias e R$ 70 mil;
  • Eduardo Bauermann (Santos): 12 jogos;
  • Igor Cariús (Sport): absolvido;
  • Fernando Neto (São Bernardo): 380 dias e R$ 15 mil;
  • Matheus Gomes (sem clube): banimento e R$ 10 mil;
  • Kevin Lomónaco (Bragantino): 380 dias e R$ 25 mil.

O zagueiro Kevin Lomónaco, do Bragantino, e o lateral Moraes, que compareceu ao tribunal no julgamento, fizeram um acordo com o Ministério Público e se tornaram testemunhas do caso.

O caso que ganhou maior destaque entre os oito é do zagueiro Eduardo Bauermann, um dos principais investigados na Operação Penalidade Máxima I e II. Atualmente no Santos, ele recebeu uma punição de 12 jogos.

Bauermann terminou enquadrado apenas no Artigo 258 do CBJD, sobre “assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código”, sendo desqualificado do Artigo 243 – sobre “atuar, deliberadamente, de modo prejudicial à equipe que defende”. A Procuradoria solicita o reenquadramento de Bauermann neste Artigo 243.

Entre os oito atletas, apenas um foi absolvido: o lateral-esquerdo Igor Cariús. Atualmente no Sport, o atleta também será julgado novamente pelo STJD. Na primeira sessão, os advogados contestaram as provas apresentadas pelo Ministério Público de Goiás e tiveram o pleito acatado.

VÍDEO
PUBLICIDADE
COLUNISTAS
PREVISÃO DO TEMPO
Campo Grande
29°C
37% 0% 5m/s 60deg
PUBLICIDADE​
APOIO
ÚLTIMAS