MPF vai investigar demora de cirurgias e falta de médicos em Hospital Universitário

Conforme denúncia, pacientes estariam internados há mais de 15 dias aguardando a realização de cirurgias cardíacas

O Ministério Público Federal (MPF) de Mato Grosso do Sul instaurou um inquérito civil com objetivo de apurar a demora para realização de cirurgias cardíacas, a falta de médicos anestesistas e de insumos essenciais no Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP) gerido pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

A ação foi publicada nesta quarta-feira (5) no Diário Eletrônico, através do Portal da Transparência e Prestação de Contas. Conforme apresenta o documento, o caso chamou atenção das autoridades do MPF após um ouvinte, que preferiu não se identificar, da Rádio Jota FM realizar a denúncia.

De acordo com o ouvinte, pacientes do Humap-UFMS estariam internados há mais de 15 dias aguardando a realização de cirurgias cardíacas, diante da falta de médicos anestesistas e de insumos essenciais, como válvula utilizada no procedimento.

O inquérito considera que a informação de que “a disponibilização dos recursos necessários, como a válvula e a contratação de um profissional anestesista, é fundamental para garantir a saúde e a vida dos pacientes que se encontram na fila de espera”.

O documento afirma que, embora o ouvinte não tenha fornecido dados pessoais para acionar a Defensoria Pública da União em relação a sua demanda individual, é necessário apurar os fatos sob a perspectiva da tutela coletiva. 

O ofício será encaminhado, em caráter de urgência, para a Superintendência do Humap-UFMS solicitando que o hospital preste informações sobre o conteúdo da denúncia dentro do prazo de 5 dias úteis.

“Esclarecendo todos os motivos que ensejaram a demora na realização de cirurgias cardíacas no local, bem como as providências adotadas para suprir o déficit de médicos anestesistas e adquirir, com a urgência que o tema requer, os insumos necessários – notadamente a válvula utilizada no procedimento”, finaliza o documento.

Administração

O Hospital Universitário é administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) desde 2013 e está vinculada ao Ministério da Educação (MEC). Criada em 2011, a Ebserh administra, atualmente, 41 hospitais universitários federais.

O Hospital ocupa uma área de 35.350 m2, sendo 28.300 m2 de área construída, que engloba Ambulatórios de Especialidades, Centro Cirúrgico, Centro Obstétrico, CTIs Adulto e Pediátrico, UTI Neonatal, Unidade Coronariana (UCO), Pronto Atendimento Médico (PAM), Diagnóstico por Imagem, Serviço de Radiologia, Banco de Leite Materno, Hemodiálise e residências médicas em 20 especialidades.

VÍDEO
PUBLICIDADE
COLUNISTAS
PREVISÃO DO TEMPO
Campo Grande
14°C
82% 100% 5m/s 160deg
PUBLICIDADE​
APOIO
ÚLTIMAS