MS Day: Riedel destaca vitrine nacional e R$ 5,5 bi de novos investimentos para Mato Grosso do Sul

Com potencial para novos investimentos em diversos setores, Mato Grosso do Sul se consolida como um dos estados que mais cresce no Brasil. A vitrine de possibilidades oferecida em diversos segmentos econômicos foi apresentada pelo Governo do Estado durante o MS Day, realizado ontem em São Paulo (SP), com R$ 5,5 bilhões em negócios confirmados. O evento reuniu aproximadamente 400 empresários de 25 grupos diferentes – incluindo alimentos e celulose. O ambiente de negócios seguro e saudável é chamariz para novas instalações de empresas e indústrias em terra sul-mato-grossense, que tem como destaque solo e clima favoráveis, além de proporcionar a logística necessária para o crescimento privado e com isso gerar emprego e renda para a população.

“O MS Day expôs o Mato Grosso do Sul para o mercado como um todo. As empresas puderam conhecer o Estado, potencialidades, competitividade. Bons projetos foram anunciados. É assim que a gente vai construindo com o empresariado, em parcerias. Num caminho só, da prosperidade, do desenvolvimento, da inclusão, é o que buscamos. Foram anunciados mais de R$ 5 bilhões em investimentos já consolidados e uma série de oportunidades que apareceram. O balanço é extremamente positivo para o Mato Grosso do Sul”, afirmou o governador Eduardo Riedel.

Entre os investimentos anunciados durante o MS Day estão os das empresas Raízen, Atvos e Inpasa. “Nossos objetivos foram alcançados como a divulgação feita pela empresa Raízen, com a expansão de um novo produto, que é o etanol de segunda geração, com investimentos de R$ 1,3 bilhão. O anúncio da Atvos, empresa produtora de açúcar e etanol, presente em Mato Grosso do Sul, e que vai realizar investimentos de aproximadamente R$ 3 bilhões nos próximos 3 anos para a ampliação da base agrícola, na produção de cana e modernização da linha de produção de etanol no Estado. E, por último, o anúncio da Inpasa, com uma nova planta de etanol de milho, em Sidrolândia, e aporte de R$ 1,2 bilhão”, disse o secretário Jaime Verruck (Semadesc).

O evento reuniu representantes de indústrias e empresas nacionais e estrangeiras já instaladas em Mato Grosso do Sul, e outras que demonstram interesse em investir no Estado, para conhecer as potencialidades e oportunidades evidenciadas durante o MS Day. A parceria de sucesso do Governo do Estado com a FIEMS (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Su) – com apoio da CNI (Confederação Nacional da Indústria) – em São Paulo (SP), contribuiu para o sucesso da ação.

“É uma parceria de muito sucesso do Governo com a Fiems. Mato Grosso do Sul é um Estado simples, desburocratizado, que tem regras claras e transparência, onde a relação é olho no olho, com interesse no coletivo e no desenvolvimento. Quem vier, vai encontrar esse ambiente de negócios saudável. Somos um Estado que tem harmonia institucional entre os poderes, entre o setor público e privado, e que anda em um caminho só, o da prosperidade, desenvolvimento e inclusão”, afirmou Riedel.

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, que também é vice-presidente da CNI, avaliou positivamente o MS Day e enalteceu o alinhamento estratégico entre os setores públicos e privados em prol do desenvolvimento econômico e social do Estado. “Temos uma particularidade, que é um governo empenhado no desenvolvimento da economia e do setor privado. Quando um governo proporciona essa condição, o desenvolvimento vem de forma diferenciada. Apresentamos essa aliança nova e moderna, que é a integração do poder público com o setor empresarial. Para nós, da Fiems e da CNI, esse é um marco importante e um modelo que merece ser replicado para outros estados. Estamos em franco desenvolvimento e vivemos o pleno emprego”, disse Longen.

O modelo desenvolvido pelo Governo do Estado, em parceria com a Fiems, também foi reconhecido ela ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet. “Mato Grosso do Sul é a terra de oportunidades, como é o Centro-Oeste de um modo geral, e o Brasil. A importância desse evento para o próprio Estado, que é mostrar para o Brasil e o mundo as potencialidades pela logística, localização, terras, águas – temos duas bacias hidrográficas importantes -, pelo clima, solo, pela sua gente, mão de obra, que hoje está sendo qualificada. E é isso que nós queremos para o Mato Grosso do Sul, crescimento, geração de emprego e renda. O que aconteceu é um exemplo do que nós queremos que aconteça em todos os estados da federação brasileira”.

Natalia Yahn, Comunicação Governo de MS
Fotos: Álvaro Rezende (destaque)

Fonte

VÍDEO
PUBLICIDADE
COLUNISTAS
PREVISÃO DO TEMPO
Campo Grande
23°C
78% 0% 2m/s 140deg
PUBLICIDADE​
APOIO
ÚLTIMAS