Prefeitura renova contrato com São Julião, mas mantém 26 cirurgias por mês

Sesau informou que está buscando meios para que quantidade de procedimentos voltem ao patamar anterior, já que as mais cirurgias só foram possíveis por aplicação de emenda federal

Após reunião com a prefeitura e vereadores de Campo Grande na semana passada, o contrato mantido com o Hospital São Julião foi renovado nesta segunda-feira (03). O valor e a quantidade de cirurgias eletivas realizadas pela instituição por meio do Sistema Únicos de Saúde (SUS) foram mantidos. 

Ao Correio do Estado, o presidente da instituição, o médico Calos Melke, informou o valor do contrato ficou fixado em R$ R$ 28 milhões por ano, ou seja, a cada mês o hospital receberá R$ 2,4 milhões para executar 26 cirurgias em pacientes encaminhados pela Secretaria Municipal de Saúde (SESAU).

Ainda de acordo com Melke, apesar do contrato ter sido renovado hoje, ainda existem pontos pendentes para serem solucionados entre a instituição e a prefeitura. Por exemplo, o aumento na quantidade de cirurgias realizadas por mês no São Julião. 

Conforme informações repassadas pelo próprio presidente, o hospital chegava a realizar até 100 cirurgias por mês, contudo, desde que a prefeitura passou a atrasar os repasses, em abril deste ano, o número caiu para 26 justamente por uma determinação municipal.

Ainda de acordo com Melke, a decisão veio quando cerca de mil pacientes já estavam agendados e apenas esperavam o dia marcado chegar. 

A justificativa apresentada à época pelo Executivo era de que a quantidade maior só era permitida porque havia recursos de uma emenda parlamentar, contudo, a verba chegou ao fim e a prefeitura não teria condições de arcar com o custo de tantos procedimentos.

Procurada pela reportagem, a Sesau reforçou a explicação, afirmando que as cirurgias adicionais foram oportunizadas por uma emenda federal da então deputada Rose Modesto, que somava aproximadamente R$ 2 milhões, sendo que o contrato tinha data para início e término. 

Ainda segundo a pasta, os pacientes que estavam agendados foram encaminhados para outros hospitais que também possuem convênio com a prefeitura como Santa Casa, Hospital Universitário e Hospital Regional. 

Para Melke, apesar da prefeitura ainda ter alguns pontos para acertar com o São Julião, a renovação do contrato é de grande importância para a continuidade dos atendimentos via SUS, que representam quase 100% das consultas e procedimentos realizados. 

“A expectativa é que o acesso aos serviços de saúde sejam mantidos para a população e que esses outros pontos, como a emenda e a volta na quantia maior de cirurgias sejam resolvidas”, destacou. 

Além de buscar uma suplementação por meio da Câmara Municipal para que sejam pagas mais cirurgias e procedimentos de reabilitação, a prefeitura também prometeu pagar os valores em atraso, bem como repassar os valores destinados à instituição por meio de emendas parlamentares federais. 

A Sesau também informou que está sendo buscado meios para que a quantidade de procedimentos voltem ao patamar anterior, já que há emendas federais que podem ser aplicadas neste caso.

VÍDEO
PUBLICIDADE
COLUNISTAS
PREVISÃO DO TEMPO
Campo Grande
28°C
42% 0% 5m/s 360deg
PUBLICIDADE​
APOIO
ÚLTIMAS