Presença de mercenários do Grupo Wagner na fronteira deixa Polônia em alerta

Conhecido como corredor de Suwalki, o trecho da fronteira entre a Polônia e a Lituânia tem cerca de 100 km de extensão e conecta Belarus à região russa de Kaliningrado.

A presença do Grupo Wagner nesta região pode aumentar a tensão com países da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), grupo que, além de Polônia e Lituânia, inclui Estados Unidos, Reino Unidos e França.

Grupo Wagner em Belarus

Combatentes do Grupo Wagner chegaram a Belarus há duas semanas após organizarem um motim contra o presidente russo, Vladimir Putin.

Eles foram convidados pelo presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, que buscava encerrar o levante contra Putin. Lukashenko também pediu para o Grupo Wagner ajudar a treinar militares de Belarus próximo à fronteira com a Polônia.

A Polônia, antiga integrante do Pacto de Varsóvia e que se tornou membro completo da aliança militar da Otan em 1999, está preocupada com a possibilidade de que a guerra entre Rússia e Ucrânia respingue em seu território.

No começo deste mês, a Polônia começou a mobilizar mais de mil tropas para a região leste do país com a preocupação de que a presença de soldados do Grupo Wagner em Belarus possa levar a tensões maiores na fronteira.

  • Fonte: G1
VÍDEO
PUBLICIDADE
COLUNISTAS
PREVISÃO DO TEMPO
Campo Grande
25°C
44% 0% 3m/s 30deg
PUBLICIDADE​
APOIO
ÚLTIMAS